Sessão de Terapia

Síndrome do Avestruz
25 de novembro de 2021

Já pensou em fazer terapia, mas a única coisa que vem a sua mente é você deitado em um tipo de sofá, olhando para cima, de costas para um estranho contando a ele sobre sua vida?

Se essa é a ideia que você faz sobre terapia, então esse texto é para você.

Hoje quero te contar um pouco sobre a série Sessão de Terapia, que atualmente está em sua 5ª temporada, disponível na plataforma GloboPlay.

Para que você possa entender um pouco mais, segue um resumo, mas olha, se você não curte spoilers, rola a tela um pouquinho a tela e vá direto ao ponto. 😉

Vamos a um resuminho rápido

Sessão de Terapia, é uma série originalmente israelense e ganhou versões no Brasil e Estados Unidos.

A série se passa no consultório do psicólogo Theo Cecatto, que atende seus pacientes em sua uma sala montado na própria casa. A série conta a história de 4 pacientes atendidos por Theo de segunda à quinta-feira, nss sextas ele tem a sua psicoterapia pessoal, onde relata a Dora sua terapeuta o que pensa sobre seus pacientes e como a vida e as histórias deles afetam sua vida pessoal.

Os pacientes da segunda temporada não são os mesmos da primeira, no entanto Theo continua com sua psicoterapia pessoal e alguns acontecimentos o fazem refletir sobre questões de sua própria vida, assim como acontece com seus pacientes.

Já na terceira temporada, Theo não mais faz psicoterapia às sextas, mas participa de um grupo restrito de supervisão de casos, onde busca orientações teóricas para o acompanhamento de um de seus pacientes, cuja história mexe com seus sentimentos, pois se trata de uma difícil relação entre pai e filho, que em muito lembra não apenas a história de Theo com o próprio pai, mas com seu filho, no momento está envolvido com drogas.

A partir da quarta temporada, somos apresentados a um novo psicoterapeuta, Caio Baronne. E aqui uma nova história começa a ser contada. Caio também atende onde mora, um apartamento e seguindo a mesma temática das primeiras temporadas, são contadas 4 histórias, de pacientes atendidos de segunda a quinta feira, na sexta Caio é atendido por Sofia. Entre as temporadas 4 e 5 Caio e Sofia passam a ter um relacionamento (que não se mantém na quinta temporada).

Assim como Theo, Caio também tem suas questões pessoais, problemas familiares, dificuldades em lidar com alguns pacientes. Caio também faz sua terapia pessoal às sextas-feiras e é atendido por Davi,um psicólogo muito bem recomendado e que abre parte da sua vida para Caio.

Agora chega de spoilers e vamos ao que interessa

Nem tudo na série é como na vida real

Pode acontecer do seu psicólogo te atender em um espaço que ele também utiliza como casa, no entanto não é muito comum. Na série tanto Theo quanto Caio montaram seus consultórios em suas casas. Caio atende na sala de seu apartamento, onde uma parede de vidro ( que mais parece com uma porta) separa os ambientes. Enquanto Theo, atende em uma sala separada, mas que fica em sua casa.

Grande parte dos terapeutas, optam por montarem uma sala em um prédio comercial, até mesmo para que possam fazer as devidas separações vida pessoal x vida profissional.

Mas não há nada que impeça o profissional de montar seu consultório em casa , desde que o ambiente ofereça boas condições com isolamento acústico, para preservar o sigilo do paciente, boa iluminação, ventilação e os recursos necessários para cada tipo de atendimento.

Um outro fato curioso, percebido na série e que nem sempre corresponde a realidade é o fato de muitos pacientes saírem correndo da sala,assim que escutam algo que não gostaram por exemplo, sem ao menos darem um tchau a seu terapeuta. Claro que isso pode acontecer … até porque o que vemos ali são pessoas muitas vezes fragilizadas com suas história e com as dores que carregam, e nem sempre é uma tarefa fácil lidar com os próprios sentimentos. Entretanto, as sessões tem um tipo de estrutura, com começo meio e fim. Muitas pessoas apresentam dificuldades em conseguirem se soltar logo no inicio da sessão isso leva tempo.

Quando assistimos, nos da a impressão de que as pessoas ali atendidas já chegam falando sobre suas vidas, mas na vida real muitas chegam e relatam que não sabem o que dizer. Ficam um tempo em silêncio. E tudo isso faz parte do processo.

Outro ponto a ser ressaltado é o tempo de duração. Cada sessão dura em média 50 minutos, mas por se tratar de uma série esse tempo na pratica é reduzido, até para que você enquanto telespectador, não perca o interesse. Ainda falando de tempo, as temporadas contam com 25 episódios sendo em média 9 sessões para cada paciente.

É bem possível que na sua vida seja diferente. Algumas pessoas ficam alguns anos com seus terapeutas. E não se trata de alguém que não consegue lidar com seus problemas. A psicoterapia é um processo que leva tempo, autoconhecimento não se constrói da noite para dia, então não se assuste caso você se perceba completando aniversário com o seu psi.

Lembre-se: Séries são ficção, precisa ser prazeroso para você assistir e não maçante. Por isso, nem tudo condiz com a realidade.

Meu psicólogo vai me olhar com cara de paisagem?

Muito provável que não. Psicólogos são pessoas como as outras, com sentimentos e que também sofrem com as histórias que ouvem. Pode parecer muitas vezes que ele não está muito aí para o que você fala, ou ainda que ele esteja te julgando internamente. Mas a verdade é que ele está atento ao que você fala e também ao que você cala.

Somos humanos e nossa comunicação não se limita as verbalizações, mas também por meio de nossos gestos, nosso comportamento fora da sessão e que contamos durante o atendimento ao psi. Tudo isso é relevante e conta sobre quem somos.

Não tem um sofázinho para eu me deitar

Dentro da psicologia existe algo que chamamos de abordagem. A abordagem é como se fosse a linguagem que o psicoterapeuta escolhe, tanto para poder estudar e seguir uma linha teórica, quanto para poder comunicar com o paciente. Dentre as tantas abordagens existentes há a psicanálise muito conhecida por conta de um dos grandes nomes Sigmund Freud. Na psicanálise, há um divã, que é aquele sofá em que o paciente se deita e fica de costas para o terapeuta.

Caso você chegue ao consultório e não tenha esse divã, não se assuste, nem todos utilizam desse método, mas fazem uso de outras ferramentas tão eficientes quanto o famoso divã.

Inclusive, se puder observar, na quinta temporada uma das pacientes de Caio se deita no divã enquanto que nenhum outro tem essa curiosidade. Já na sala de Davi, o psicólogo de Caio, não há um divã, mas tem uma caixa para cada paciente.

Isso prova que cada profissional trabalha de uma forma e não é fato de ter ou não aquele sofázinho para você se deitar que fará a diferença.

Psicólogos vão a outros psicólogos?

Sim, nós vamos. E nem sempre é para falar sobre você.

Há duas razões para buscarmos o auxilio de um colega de profissão. A primeira delas se chama supervisão.

A supervisão de casos, é como se fosse uma sessão de terapia, mas o foco é trabalhar as questões de um paciente.

Não significa que estamos contando por aí a sua história, muito pelo contrário, o código de ética da profissão inclusive aponta sobre essa questão em seu artigo 9º.

O terapeuta leva para a supervisão, algum caso clínico ou seja alguma história de vida em que possa estar com dificuldades em auxiliar o paciente. Não basta apenas chegar e se sentar para te ouvir, tem muito estudo por detrás do seu atendimento e a supervisão clinica é uma forma de estudos.

Além do fato, que como mencionado mais acima, nós psicólogos também temos nossa vida pessoal e podemos ter dificuldades com a sua história, se ela tiver algo que se assemelhe a nossa.

E para que você não tenha nenhum prejuízo em seu tratamento é que também fazemos terapia, sendo essa a segunda razão pela qual procuramos um colega de profissão.

Assim como você, levamos nossas relações familiares, relacionamentos e dificuldades no ambiente de trabalho, para a terapia. Criamos fantasias em nossas mentes, sofremos com o fim de relacionamentos ou ficamos eufóricos em novas relações. Enfim psicólogo é gente como a gente.

Só vai ao psicólogo quem tem transtorno mental

Em Sessão de Terapia, somando as cinco temporadas, juntos Caio e Theo atenderam um total de 20 pessoas. Considerando que os dois também fizeram psicoterapia somam assim 22 pessoas, 22 histórias de vida.

Várias foram as razões que levaram essas pessoas aos consultórios de Caio e Theo.

Um atirador de elite, que matou uma criança e não conseguia retornar ao trabalho, pois busca pela “opinião” de Theo se deveria ou não voltar as suas atividades normais.

Duas personagens foram ao consultório em busca de uma avaliação psicológica. Por razões distintas. Uma em virtude de um atropelamento que sofreu, estava sendo investigada pelo seguro, a outra estava em acompanhamento médico para fazer uma cirurgia bariátrica, e necessitava de uma avaliação psicológica para obter a permissão de realizar a cirurgia.

Também passou por atendimento um casal, com dificuldade na relação e posteriormente o filho deles. No inicio para lidar com a separação do pais, mas com o passar das sessões pôde se perceber que seu caso tinha mais haver com a necessidade do garoto em ser aceito pelo pai, do que de fato lidar com o divórcio.

Uma mulher com dificuldade de engravidar, outra com problemas para amamentar. Jovens com dificuldades de relacionamento com seus pais, uma pessoa idosa que perdera o sentido pela vida e que sentia que atrapalhava a vida do filho. Teve ainda homem hétero que conseguiu compreender o quanto seu comportamento é machista e o quanto isso afetava sua relação com a esposa. Empresário bem sucedido que acredita que sua crise de ansiedade seja em virtude do seu ritmo de trabalho um possível burnout (que não é o caso, no fim das contas) e ainda celebridade com questões que não estão ligadas a fama.

Percebe que nenhuma dessas pessoas chegou com um diagnóstico fechado de um possível transtorno mental a ser tratado, ou mesmo com a suspeita de um.

São pessoas comuns, homens, mulheres, crianças, jovens, idoso, adolescentes, donas de casa, profissionais das diversas áreas, com problemas comuns. Ansiedade e depressão sim, mas também com dificuldade em lidar com as relações familiares, filhos que sentem-se pressionados por seus pais, mulheres que sentem-se cobradas a todo instante, homens poderosos que não conseguem controlar tudo a sua volta.

Terapia não é artigo de luxo, assim como não serve apenas para tratar doenças mentais.

Terapia é uma form de cuidado. Do mesmo modo que buscamos pelo acompanhamento de um médico quando sentimos uma dor física, a terapia não é medicina, mas é ciência e como tal, tem todas as ferramentas necessárias para auxiliar nas mais diversas demandas.

Antes de dizer não a psicoterapia, dê uma olhadinha nessa série, maratona algumas temporadas quem sabe você se identifica com algum personagem. E se ainda ficarem dúvidas, joga aí no Google: Psicólogo em (nome da sua cidade). Busque um profissional e marque uma sessão. Tire suas dúvidas e faça as perguntas que quiser.

Assim como eu, acredito que outros colegas terão o maior prazer em poder acompanhar a sua caminhada.

Balde de pipoca Vetor Premium | Premium Vector #Freepik #vector #alimento #linha #caixa #desenho-animado

_________________________________________________________________________________________________Sobre a autora ____________________________________________________________________________________________________

Ana Paula
Ana Paula
Gosta de gente, de ouvir e de falar. Ama um áudio longo, café e chá. Tereré também, anota aí na lista, e mais um tanto de outras coisas que até Deus dúvida.. Há, é psicóloga também, pode indicar. E caso precise, pode com a Ana contar ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *